Herança- Valores em depósito bancário

Jornal Correio da Manhã Canadá publica artigo " Herança- Valores em depósito bancário " na edição de 09/10/2020 de Carlos Nunes, CEO da Fire Horse.
Leia a resposta completa:

09 de outubro 2020.

PARTILHAR ESTE ARTIGO:

Facebooklinkedin

O nosso leitor João Santos, de Toronto, lançou algumas questões entre as quais destacamos o seguinte comentário/pergunta:

“(…) e assim a minha irmã ficou com todo o dinheiro que estava na conta…”

Caro senhor,

Gostaríamos de começar por agradecer o e-mail que nos enviou. Das múltiplas questões que nos colocou, não nos é possível responder a todas neste espaço. Para além disso, é absolutamente necessário consultar um Advogado, Solicitador ou mesmo um Notário, em Portugal, para o auxiliar a deslindar a situação em que se encontra.

Infelizmente, como diz o Povo, muitas vezes a herança “é aquilo que quem morre cá deixa para os vivos os seguirem mais depressa!” . Conflitos entre Família são, semore, desagradáveis.

Respondendo à sua questão, e crendo no que nos transmitiu, a Senhora Sua Mãe, ainda em vida, assinou os documentos bancários que transformaram uma conta bancária pessoal numa conta plural/ coletiva, ou seja, com vários titulares e escolheu a modalidade solidária. Isto que dizer que tanto a Senhora Sua Mãe como a Sua Irmã poderiam movimentar a conta por si, isto é, como apenas uma assinatura. Não é nada de estranho, porquanto as pessoas de idade perdem a sua capacidade de se moverem com facilidade e optam por confiar essa gestão a alguém próximo. Portanto, não há dúvidas que poderia ter “levantado” todo o dinheiro.

No caso que aponta, afirma que a Sua Irmã levantou todo o dinheiro depois da morte da Sua Mãe. Assim sendo, os valores deixados pela Sua Mãe fazem parte da herança e terão de ser considerados para efeito de partilha.

Carlos Nunes

CEO

Mais Respostas